Cooperativa

Cooperativas de Valadares promovem “Arraiá do Cooperativismo” em comemoração ao DIA C

Graças ao espírito solidário das cooperativas de Governador Valadares, último sábado (20), foi realizada a 2ª edição do “Arraiá do Cooperativismo”. O evento reuniu cerca de 500 pessoas em frente ao Lar dos Velhinhos, em uma noite de muita diversão e comidas típicas.

A iniciativa do Dia de Cooperar na cidade é uma realização do Elo Cooperativista Social (ECOOS), que consiste na aliança estratégica das cooperativas Agropecuária Vale do Rio Doce, Unimed, Unicred, Sicoob Ac Credi e Sicoob Crediriodoce.

As principais atrações do Arraiá foram o Concurso Musical “GV Canta Cooperativismo III”, bingo, quadrilha, música, além das tradicionais barraquinhas de comidas típicas, organizadas pelas instituições beneficiadas em anos anteriores no Dia C. São elas: Acolhe Vida, Associação Santa Luzia, Cidade dos meninos, Dona Zulmira, Missão Vida e o Lar dos Velhinhos. A ocasião contou com atrações direcionadas às crianças como pula-pula, pipoca e algodão doce.

GV Canta Cooperativismo

Em sua terceira edição, também foi realizado durante o Arraiá o Concurso Musical GV Canta Cooperativismo, que convidou os músicos da região a comporem uma canção sobre Cooperativismo. Ao todo foram 15 inscritos. Cinco deles se apresentaram durante a noite do dia 20 e conquistaram os prêmios de 1º, 2º e 3º lugar, respectivamente: Thiago Marlon, com a canção “Vem Cooperar”; Brenda Nunes com “Cooperar é Crer” e Amador Neto com “Nova Onda Digital”.

 


 

Conheça 5 aplicativos voltados para o agronegócio

Foi-se o tempo em que os produtores rurais não tinham acesso à internet e estavam alheios ao mundo digital. E isso se confirma com o número de aplicativos disponíveis para esse público, realmente é extenso.

Nesse guia apresentaremos 5 aplicativos que prometem tornar a atividade rural mais prática e eficiente. Acompanhe:

1 — 4Milk

Esse aplicativo foi criado para ajudar na gestão zootécnica do rebanho de leite. Ele ajuda o produtor a gerenciar os manejos reprodutivos, produtivos e sanitários do rebanho. Com ele o produtor pode acompanhar o controle leiteiro de cada vaca individualmente, gerar relatórios de faturamento, agendar aplicação de medicamentos, gerar relatórios zootécnicos, financeiros e muito mais.

Além disso, o App possui uma plataforma de livre comércio de animais, onde é possível comprar e anunciar animais para venda.

2 — Revista Mundo do Leite

A Mundo do Leite é uma revista lançada em 2002, com publicação bimestral, e que trata dos mais diversos assuntos relacionados a cadeia produtiva do leite. Em suas publicações é possível encontrar assuntos relacionados ao mercado lácteo, técnicas de reprodução e manejo, nutrição, sanidade, novas tecnologias e tudo mais que interessa o produtor de leite.

3 — Agrobase

Esse aplicativo te auxilia a identificar as doenças, ervas daninhas, insetos ou pragas nos seus campos agrícolas. Identificando o problema o App sugere possíveis soluções para ele, indicando o melhor produto ou técnica que deve ser utilizada para a saúde da sua propriedade.

4 — Atomic Agro

Esse App é muito interessante, pois, ele te coloca em contato com outros produtores que desempenham atividades agrícolas iguais às suas. Dessa forma é possível trocar experiências com outros produtores como você e evitar possíveis erros na gestão da sua propriedade.

5 — BNDES Agro

Esse App é direcionado aos produtores que estejam procurando linhas de financiamento para sua atividade, e o BNDES possui diversas. Com o aplicativo você descobre qual linha de crédito melhor se adéqua ao seu perfil e confere as regras para ser beneficiado por ela.

Conhece algum outro aplicativo que ache importante compartilhar com nossos produtores? Deixe nos comentários e nos ajude a tornar o guia ainda mais completo. E não se esqueça de curtir e compartilhar o nosso conteúdo.

#CoopeDicas: 03 livros sobre pecuária de leite

Se manter informado sobre assuntos relacionados a pecuária de leite é muito importante para aumentar a eficiência da produção de leite na sua propriedade, e a leitura de livros especializados é um ótima maneira de começar.

Abaixo mostraremos 03 títulos de livros que podem ser úteis quando o assunto é aprender e se manter informado sobre o ramo leiteiro. Confira:

1 — A vaca-leiteira e seu dono (Autor: Ademir de M. Ferreira).

Nesse livro o autor fez um apanhado das principais perguntas feitas a ele nas milhares de palestras que ele já apresentou no meio rural. As perguntas são relacionadas a pecuária de leite e o autor trata de maneira leve e divertida, inclusive com anedotas, os mais diversos assuntos relacionados a esse tipo de produção. No livro você encontra:

— Perguntas e dúvidas da vaca;

— Perguntas sobre manejo reprodutivo;

— Perguntas sobre doenças e patologias;

— Perguntas sobre alimentação e manejo geral;

— O que diriam as vacas se elas pudessem falar.

Valor médio do livro: R$ 60,00.

2 — Leite de qualidade — Manejo reprodutivo, nutricional e sanitário (Autor: Lea Chapaval e Paulo Piekarski).

Nesse livro, direcionado para os iniciantes na pecuária leiteira, a intenção é mostrar a seriedade que assunto deve ser tratado quando a intenção é garantir a qualidade do leite. Em um mercado cada vez mais exigente, leite com uma melhor qualidade significa preços de venda mais elevados e maior lucro.

Apesar de o livro tratar do manejo reprodutivo e nutricional a ênfase é dada ao manejo sanitário, esse, de alta relevância para garantir um leite de qualidade e sem contaminações.

Valor médio do livro: R$ 40,00.

3 — Pecuária de leite — Custos de produção e análise econômica. (Autor: Adilson P. A. Aguiar e Juliano R. Resende).

É comum que os produtores de leite exerçam a atividade sem pensar nos seus custos de produção e quanto ele realmente está lucrando com a produção por litro de leite, o que é um erro. Para ajudar nessa tarefa o livro aborda, com uma linguagem de fácil entendimento, assuntos relacionados a:

— Custos fixos e variáveis;

— Despesas administrativas;

— Custos operacionais;

— Custos econômicos e de oportunidade;

— Lucros operacionais e econômicos;

— Retorno do capital investido.

Além o livro vem acompanhado de um CD-ROM com planilhas que visam ajudar o produtor a registrar de maneira mais organizada e com cálculos automáticos a vida financeira da sua propriedade.

Valor médio do livro: R$ 60,00.

Conhece algum outro livro relacionado ao assunto que você tenha lido e ache importante citar? Deixe nos comentários e vamos ajudar outros produtores nessa difícil tarefa que é produzir leite com eficiência e qualidade. E não se esqueça de curtir e compartilhar o nosso conteúdo.

Fertilização In Vitro — FIV Conheça essa técnica para gado de leite

O melhoramento genético do rebanho de uma propriedade é muito importante para aumentar a sua produção leiteira e até mesmo diminuir os custos de produção. E uma maneira de fazer esse melhoramento de forma eficiente é utilizando a técnica de Fertilização In Vitro (FIV).

Acompanhe abaixo como funciona a fertilização in vitro e suas principais vantagens:

Como funciona?

Essa técnica consiste na fecundação do óvulo da vaca em laboratório. No procedimento o médico veterinário irá coletar o óvulo do animal depois de estimular a sua ovulação com medicamentos específicos. Esses óvulos coletados são então analisados e colocados na estufa para posterior fecundação.

Depois de obtidos os óvulos e os espermatozoides se dá inicio ao processo de fecundação, onde ambos são colocados em incubadoras para que o processo ocorra naturalmente. Os espermatozoides procuram o óvulo. Caso esse método não funcione o especialista poderá injetar, por meio de uma injeção, o espermatozoide dentro do óvulo.

Após esse procedimento será feito o acompanhamento desse óvulo, e acontecendo a divisão celular, significa que ele foi fecundado com êxito. Posteriormente esse embrião será injetado por meio de um tubo dentro do útero da vaca para que ele possa ser gerado. Atualmente a FIV possui altas taxas de sucesso e é a maneira mais eficiente para fertilização das vacas.

Principais vantagens

— Possibilidade de criação de um grande número de embriões a partir de uma única doadora, assim uma vaca é capaz de gerar vários descendentes em um ano.

— Maior eficiência no melhoramento genético do rebanho.

— Aumento no número de nascimento de fêmeas.

— Aumento na produtividade de leite por vaca.

Atualmente o Brasil é um dos maiores produtores de embriões pela técnica FIV e exporta para diversos países do mundo.

Já conhecia essa técnica? Compartilhe conosco nos comentários suas experiências com a fertilização assistida do seu rebanho. E não se esqueça de curtir e compartilhar o nosso conteúdo.

Como a elevação do clima pode impactar na produção de leite?

As vacas, assim como a sua capacidade produção, sofrem influências diretas de fatores ambientais, e o clima é um deles. O estresse causado por altas temperaturas acaba diminuindo a produção do leite, e é sobre isso que falaremos no nosso artigo. Confira:

Efeitos do estresse calórico

Para que uma vaca mantenha sua produção de leite ideal e esteja na ZCT (Zona de Conforto Térmico) é preciso que a temperatura do ambiente esteja abaixo dos 20° e a umidade do ar entre 50 a 80%, condição rara em países tropicais como o Brasil.

Sob o efeito de altas temperaturas, a partir dos 29° (pode variar conforme a raça do animal), as vacas mudam seu comportamento para se adaptar a esse ambiente e diminuem suas atividades de pastejo, ambulação e ruminação. Com isso, o consumo de alimentos diminui em média de 20 a 30% por dia, levando a vaca a produzir menos leite. Além disso, a composição do leite também muda e em análises laboratoriais foi constatado que o leite produzido por vacas após o estresse por calor possui diminuídas as quantidades de gordura, proteína, lactose e diversos minerais.

Alternativas

Existem diversas orientações que buscam minimizar os efeitos do calor sobre a produção do leite, e dentre elas, temos as intervenções nas instalações para diminuir o calor por meio de sobreamento das áreas de pastagens, uso de ventiladores e aspersores, suplementação nutricional da alimentação, utilização de raças mais resistentes dentre outras.

Além disso, a implantação de tecnologias de produção como o sistema silvipastoril (criação do gado em conjunto de árvores e plantações) e também a criação do gado em piquetes ajuda a diminuir o estresse térmico causado por altas temperaturas. Tem dúvidas ou sugestões a respeito do conteúdo? Deixe nos comentários que responderemos quanto antes. E não se esqueça de curtir e compartilhar o nosso texto.

Cooperativa recebe homenagem do Silemg

Todos os meses acontece no Alto do Caparaó a reunião regional promovida pelo Sindicato das Indústrias de Laticínios do Estado de Minas Gerais (Silemg), da qual a cooperativa participa ativamente.

Porém, no mês de janeiro, a reunião foi transferida para Governador Valadares em homenagem aos 60 anos de fundação da Cooperativa Agropecuária Vale do Rio Doce. O Silemg teve está inciativa como forma de valorizar o trabalho desenvolvido pela Cooperativa. Além da reunião, o diretor Celso Costa Moreira, do Silemg, esteve na celebração de 60 anos realizada na sede da administrativa, presenteando a diretoria executiva e a instituição com uma placa de homenagem expressando a importância da Cooperativa em âmbito regional e nacional.

 

Culto ecumênico em agradecimento aos 60 anos da Cooperativa é sucesso!

No dia 25 de janeiro, a Cooperativa Agropecuária Vale do Rio Doce recebeu em sua sede administrativa, cerca de 600 pessoas, entre, autoridades, convidados, cooperados e seus familiares para a celebração do culto ecumênico em agradecimento aos 60 anos de fundação da instituição.
Os celebrantes do culto foram o padre Anderson e o pastor Ricardo, que meditaram sobre a força da colaboração e os resultados que são empregados na sociedade por meio deste princípio.
Após o culto ecumênico houve, a solenidade seguiu com homenagens das entidades Sicoob Crediriodoce, Sindicato da Indústria de Laticínios de Minas Gerais (Silemg) e União Ruralista Rio Doce. Autoridades e parceiros explanaram sobre a importância que a Cooperativa exerce na região do Vale do Rio Doce nas 57 cidades em que atua e o fomento que proporciona no agronegócio.

Conheça as técnicas básicas para o plantio de cana-de-açúcar

A cana é uma planta forrageira que é muito utilizada na sociedade brasileira, além de ser um produto de alto valor de exportação, seja pela produção de energia, do açúcar e até pela cachaça. Para plantar e colher a cana da forma certa é preciso seguir algumas regras determinadas pela Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa).

Nos tópicos a seguir você vai ter um resumo de quais são essas técnicas e como elas devem ser aplicadas no plantio de cana-de-açúcar. Confira!

Preparação do solo

A primeira atitude que o agricultor deve tomar é escolher a área certa para o plantio da cana. A terra precisa ser plana, com ligeira inclinação. O solo precisa ser fértil, profundo e que não encharque de água em cada chuva que tiver no local.

Depois de escolhido o lugar, é hora de preparar o solo com a aração para evitar plantas e pragas, melhorar a aeração e infiltração do solo, em seguida a gradagem, e a sulcagem que vai finalizar esse processo de preparo para o plantio da cana-de-açúcar.

O plantio das mudas

Com o solo preparado, você deve escolher quais variedades de cana que deseja plantar na sua propriedade, a depender do objetivo que tenha na plantação. As variedades mais adaptadas da região precisam ser pesquisadas, pois, variam dependendo do clima, solo e período do ano que se realiza o corte. Por isso, defina bem seus objetivos antes de começar a plantar.

Com as mudas escolhidas, é hora de escolher a época do plantio. O melhor é no início do período chuvoso para que na época de seca você consiga colher as canas já prontas para a produção. O tempo da primeira plantação até a primeira colheita pode variar de 12 a 18 meses.

Uma dica importante é agir com prevenção e usar fungicidas e inseticidas, orgânicos ou químicos, para evitar que as pragas se alojem na plantação e faça você perder toda a colheita. Prevenir é sempre melhor que remediar.

O site da Embrapa tem todas as informações detalhadas para você fazer o plantio correto da cana-de-açúcar. Se tiver alguma dúvida, deixe o seu comentário aqui embaixo!

Benefícios do uso de herbicidas na limpeza de pastagens

A pecuária bovina é uma das maiores potências econômicas em nosso país, tendo o maior rebanho comercial do mundo. E sua produtividade é toda alicerçada nas pastagens, visto que a maior parte da produção é feita nesses pastos, com a pecuária extensiva. Desse modo, manter as pastagens sadias e fortes é um dos principais artifícios para continuar gerando bons rendimentos na área, e fazer sua limpeza é fundamental.

Por isso, o artigo de hoje vem trazer os benefícios de uso de herbicidas na limpeza das pastagens.

As pastagens no dia a dia

As pastagens naturais são a forma largamente utilizada no Brasil para alimentação dos rebanhos, com aproximadamente 90% produção sendo feita nesse regime. Assim, podemos dizer que a produção da carne bovina no país está diretamente relacionada à saúde dos pastos.

Entretanto, diariamente, essas pastagens saudáveis são invadidas por plantas daninhas, que concorrem com elas diretamente por água, espaço e também por nutrientes. Muitas dessas ervas conseguem germinar mesmo em condições adversas e crescem rapidamente, diminuindo a produtividade dos pastos.

Invadindo esses espaços, as plantas reduzem a qualidade do pasto, afetando inclusive no ganho de peso do rebanho. Além disso, elas podem ser tóxicas aos animais das pastagens, causando-lhes inclusive a morte.

O processo de limpeza das pastagens

Para que essas plantas daninhas sejam removidas, foram desenvolvidas algumas técnicas de limpeza dos pastos. Dentre as práticas está o controle mecânico, que funciona por meio de roçada, com foice manual ou roçadeira a trator. Mas esse processo não é muito eficaz, já que tem efeito temporário, e só elimina o problema superficialmente. Após a roçada as plantas voltam a crescer com mais vigor, pois não há eliminação das raízes.

Outra alternativa é o controle químico feito com herbicidas. Essa prática provoca a interrupção total do crescimento das plantas invasoras e sua morte. Com isso, a pastagem consegue se desenvolver de maneira saudável. É recomendável que a limpeza seja feita nos períodos do ano em que a taxa de fotossíntese dessas plantas é alto. Desse modo, a absorção do herbicida pelas ervas daninhas também aumenta, incrementando a efetividade da limpeza. Os períodos mais propícios à limpeza são nos meses mais quentes do ano, sendo o período de novembro a março o mais recomendado.

Benefício do uso de herbicidas nas pastagens

O uso de herbicidas é uma das formas mais eficazes de limpeza dos pastos, resolvendo de forma definitiva o problema, além de melhorar o desenvolvimento saudável dos pastos. Com isso, pode ser observada uma melhora de até 50% na produtividade dessas áreas após a limpeza.

Os rebanhos, desse modo, conseguem se alimentar melhor, ganhar mais peso, ter mais saúde, e consequentemente produzir bem mais, tanto na produção de carne, como na produção de leite.

Gostou do nosso artigo? Então compartilhe e deixe nos comentários suas dúvidas e sugestões. Sua opinião é muito importante.

Os benefícios da braquiária muito além da alimentação animal

 

Se você é o tipo de agropecuário que sempre está procurando dicas que podem ajudar na plantação e na alimentação do rebanho, encontrou o site certo. E se o que procura é sobre os benefícios da braquiária, então confira o post de hoje.

A braquiária é conhecida também como brachiaria. De origem africana,  foi introduzida ao Brasil como forrageira, bastante utilizadas em áreas de cerrado. Em alguns locais tornou-se uma planta invasora, porém possui inúmeras espécies e características. Essa planta é indicada especialmente para os bovinos, pois apresenta uma boa quantidade de proteína aos animais.

Curioso para saber os benefícios que vão além da alimentação?

Além de oferecer forragem aos animais, a brachiaria é um tipo de capim que contribui na estruturação do solo, em especial em produções de milho e café. Proporcionando ao solo mais sanidade e ganhos na produtividade nas produções.

Os benefícios em usar a braquiária é redução de plantas invasoras os sistemas e produção, controle de mofo branco, melhoria das propriedades físicas, químicas e biológicas no solo e ainda aumenta os materiais orgânicos. Hoje em dia essa planta serve para tudo na produção agrícola.

Ficou com alguma dúvida? Conta pra gente o que achou, contribuindo com mais informações para todos. Até a próxima!